Nailê Rabelo Atelier

aquarelas|sketches|textos|eventos

Jundiaí - São Paulo - Brasil

11 2434 1922   /    11 9 5302 0252 

  • Facebook
  • Instagram
  • Pinterest

© 2019 por Nailê

  • Facebook
  • Instagram
  • Pinterest

Trabalho de Flor

Atualizado: 27 de Dez de 2018


O mais difícil que escolhi

Pra minha verdade

É ser responsável

Eu faço as escolhas

Ser consciente

Ser consistente

Abre todas

Janelas e portas

Da parte boa

E do que largar

Pra construir

Tenho que dar conta

De tudo

De mim

O que é grande

Muita responsabilidade

Ser responsável

Por um Ser Inteira

Da vida toda

Ações

Inanições

Pensamentos

Ainda não

Não ainda

Entender incompreensão

Ver

Emoções

É muito grande

Acho que me conheço

Aí descubro que escondi

Ouço,

Sinto

E eu sinto muito

Senti medo de voltar

Não reconhecer casa

Cheiro

Não tocar

A língua, não expressar

As flores

Eu preciso da terra, mato, água, do meu ar...

Lar

O que,aqui, lá?

Sou como cisnes

Viajo no frio

Pra voltar

No rio que corre

Nunca mais a mesma água

Eu volto de não ir

Novinha em volta

Envolta

De novo, do novo

Também não pertenço à aqui

Sinto no coração

Sempre que tiro o véu:

Borboleta

Aqui é Branca

Ela está aqui,

Eu também precisava

Voltar ao antes

De ser mais fácil deixar

Do que Ser

Responsável

Aí na minha missão

Vou chamar de trabalho,

Eu falho

Eu disse: não tenho mais lugar

Não tinha

Entendi que

Não tenho mesmo

Aconteceu que

Finquei raiz

Quando me descobri

Decidi por mim

Aí entendi

Fundei em mim!

Minha hora!

Só precisava abrir os olhos

Deve ser fácil, enormes

Até quase fechados estão abertos

Triplo sentido

Eu SÓ precisava me ver

Estar comigo a SÓs

Reconhecer

Pra me invadir

Conquistar

De novo

Na verdade que Eu Sou

A essência

Em essência

De só essencial

Fiel em Ser

A gota toda

Permanecer Eu Sou

Aí, no meu trabalho,

Eu valho.

O que concluo

Agora que me incluo

Que sou ponto de minha partida:

Lembro

Um dia no parque

Memorial da Guerra - clichê, mas foi

Eu tirava foto

Tentava controlar

Esperava captar o passarinho

Mas cansei

Respirei

Não tentei

Só quando confiei

Me encontrei

Cisne

A cisne

Pronto!

Lembra da minha fundação?

Alicerce cm dizem?

Tenho, venho fazendo..

Lembra das pedras?

As preciosas lavadas em chuva?

Guardei...

... Toda a minha vida

Agora, só construir meu castelo

Projeto já tenho

Fiz meu plano

Sou arquiteta

Não só, sou também

Eu posso amar tudo

Eu Amo!

Aprendi,preciso só

Ver Valores Variados

E se tem uma coisa que gosto

Isso é construção

Em ser arquiteta eu gosto mesmo é ser empreiteira

Aprendi também a fazer escolhas

Então porque arte?

Porque escolho

Porque tem mais

E depois se quiser

Nadar, mergulhar, banhar, me esbaldar

Em velha nova água

Eu volto de não ir

Por quê?

Eu Posso!

Minha responsabilidade

 textos...