Nailê Rabelo Atelier

aquarelas|sketches|textos|eventos

Jundiaí - São Paulo - Brasil

11 2434 1922   /    11 9 5302 0252 

  • Facebook
  • Instagram
  • Pinterest

© 2019 por Nailê

  • Facebook
  • Instagram
  • Pinterest

Milagres de Apollo

Atualizado: 5 de Jan de 2019


A vida toda esperei meu milagre

Sempre achei que viria

“A cada mil lágrimas

Um milagre”

Eu a-guardei o poema

Esperava que chegasse à jato

E me dissesse

Que milagre!

Esperei esperei

Até que cansei

De um estímulo externo

Não preenche

Só enche

Fui rever o conceito

Só agora, com Apollo

Um Deus lindo e puro

Aclamado pela justiça e ponderação

Tão belo

Que seu nome Febo

É Brilho

Conhecido como Deus do Sol

A beleza do milagre

Que vem sempre da expectativa

Iluminando aquilo em que eu puser atenção

Já ouvi dizerem que despertar foi como um clique de ainda não e booom agora sim!

Eu o recebi

Esperava vir

Reparei que veio, direto de mim

Assim que aprendi a ver as cores

Nunca mais esqueci

Eu via facil, fácil quando tudo era novo

Aí me esqueci de procurar aqui

Na antiga terra

Eu estava

Pré-ocupada demais

Só por um tempo

Elas não me despertavam mais

Não inspiravam

Não faziam

Porque eu

Não via

Esperava ainda de fora

Até que então

Um silêncio alto

Que me conforta agora

Com um rugido do coração

Que me acalma agora

Começaram a saltar

Roxos, vinhos, verdes, marrons, ocres

Em fundos azuis, naples, laranjas

Eram um monte

Que aos montes

Vinham e vinham

E foi um clique aqui

Booom de repente eu o tinha

Meus olhos perceberam antes

Que só viam aquilo depois

Que eu visse com meu coração

E foi mais

Foi deee mais!

Eu mesma, só percebi o tamanho da graça

Quando me agraciei

Da beleza

Que sussurrava esse-mudar

Silencia

Alicia

Ah que lindo estar muda

Ganhei outro ao saber que

Por fora se quiser bela viola

Por dentro

Sossega

Calma me acalma

Eu só ser

Ahh

Eu vejo ser novo desabrochar

Me toca, dizendo que

Bastava esse primeiro me acalmar

Esperar, aguardar

Penso esse ser

Meu rebanho controlado

No belo sentido de controlar

Vindo me banhar de

Paciência!

Nesse vasto campo

Enquanto eu planto,

Agora os dias todos,

Ceifo milagres,

Agora todos os dias!

Emocionada

Vestida em cores

Em silêncio

Nesse dia,

Quase enfim paciente

Conheci do campo vizinho

Apollo

Quem me lembrou essa lição

Ali, Apollo é o cão Pastor

Aqui, a minha mente

Ali, a luz de Luiz

Aqui, fez-me luzir

A lembrar

A adorar

Ahh

Que assim somos

Dois milagres pintados

Significou pra mim

Eu e Apollo

Apollo e Eu

 textos...