Folhas de Outono na Primavera

Atualizado: 27 de Dez de 2018


Eu caibo em uma mala

Tudo o que eu amo cabe em uma mala

Se eu não quiser mais nada

Caberá meu nada em minha mala

Por isso larguei tudo

Nem ligo mais pra nada...

Só uma coisa

Que é tudo

Pra mim

Me apeguei muito

Mas muito

A ele

Meu estojinho

De aquarela

Aí Deus

Como eu amoooo

Como nada pode ser tuuudo?

Aquele danado

Mas é divino

É igual ao meu coração

Sempre cabe mais um

Pincel!

As tintas...

Que escolha certeira!

São demais

Exatas

Os espaços

Calculados

Tudo misturado

Nos momentos certos

Como tudo pode ser naaada?

E ele cabe na mala

Direitinho

Cabe menos

Ele é a mala

Eu levo na mão

Pra não misturar,sabe?

Quando chacoalhar

Porque agora está sempre molhado

De tanto usar

E abusar

Das cores...

É russo meu bonitinho

Comprei em terras catalãs

Mas quase só fui usar em romanas

Ele é internacional

Intencional

Meu brotinho é

De metal

Pra durar

Pretinho

Pra ser básico

Número de cores?

O Essencial

Dizem que é invisível aos olhos, não é?

Ele é...

Todo meu mundo

Cabe em uma mala

Pequenina pequenina

Pra eu me carregar

Soltinha

A saltitar

E o bom?

Vou colorindo por onde eu passo

Respingando as tintas

Como eu quero

Agora estou assim

Desprendida

Desentendida

Reconhecendo,

Descobrindo meu lugar dia a dia

Um pouco

Um monte

Por dia

No fim

Onde está tudo?

Cabe nessa mala

Pequenina

Pequenina

Como eu! Piccolina

Mas só por fora,

Porque deeeentro...

Ahhh dentro...

Cabe meu mundo todo

 textos... 

Nailê Rabelo Atelier

aquarelas|sketches|textos|eventos

Jundiaí - São Paulo - Brasil

11 2434 1922   /    11 9 5302 0252 

  • Facebook
  • Instagram
  • Pinterest

© 2019 por Nailê

  • Facebook
  • Instagram
  • Pinterest